quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Usar o que é bom da tecnologia para nossa casa: Aplicativos que Ajudam a Economizar e Organizar a Vida Doméstica

Sabemos que enfrentamos uma luta diária com os avanços tecnológicos no que se diz do mundo virtual: a cada dia chegam novidades, o uso das tecnologias fica mais amplo e acessível - tanto para o que é bom, como para o que é ruim. Mas, se tem tanta coisa boa, porque não aproveitarmos todo o bem que isso tem para nos oferecer? Alguém aqui se vê sem usar o seu celular (sempre tem alguém, mas tenho certeza que não é a maioria)!

Imagem: freepik

Falando de casa, com a correria que temos hoje com família, atividades domésticas, trabalho, chamados na Igreja, etc. acho que tudo é válido no quesito facilitar, assim como economizar. E me deparei com um artigo que achei extremamente interessante e que quero testar! São aplicativos que ajudam na vida doméstica e se você já usou ou usa algum desses, por favor, me diga o que achou!

Eu já utilizo alguns recursos que já tenho simples, como fotografar algo bacana que li no quadro de uma aula da igreja, ou uma inspiração bacana que vi na rua; uso um aplicativo tipo bloco de notas para anotar recados do dia a dia, reuniões de presidência e anotar os gastos da casa, mas eu já percebi que tem muito mais o que podemos usar!

Acima de tudo, se tem algo que me ajude a adiantar as tarefas rotineiras para ter mais tempo com meu esposo e filhos, eu acho maravilhoso. Vamos às ideias!

Fonte: Revista Zap Imóveis

Boa Lista

Organiza a lista de compras. Ideal para não esquecer nenhum item e precisar voltar depois no supermecado. E também, no caminho inverso, ajuda a pessoa a não comprar mais do que deve, afinal de contas, supermercado é sempre um local tentador. O aplicativo ainda compara os preços e indica os locais onde os produtos estão mais baratos. Ou seja, é um sistema que ajuda a economizar tempo e dinheiro.

Yadahome

Através deste aplicativo, é possível organizar as tarefas e agendas de compromissos. Ótimo para quem tem muitos afazeres no dia a dia, mas acaba esquecendo de alguns deles. Ele também possibilita fazer uma lista de compras. E ainda tem uma ferramenta que permite compartilhar as informações com os familiares.

Home Decorator

Cansou da cor da parede da sua casa, mas ainda não conseguiu decidir por qual tonalidade trocar? Ou qual combina melhor com a decoração do ambiente? Este aplicativo vai ajudar na hora de tirar esta dúvida. Basta tirar uma foto e fazer o teste de como ficará com a futura cor.

Receitas fáceis

Você tem habilidade, mas não tem muito conhecimento do que fazer nacozinha? Este aplicativo é perfeito, já que, através dele, é possível ter acesso a centenas de receitas. Vai cozinhar para a família no almoço do domingo ou receberos amigos em casa com petiscos ou até mesmo elaborar uma receita mais leve? Tudo isso é possível, já que o app oferece todo tipo de cardápio, desde bolos, saladas, carnes, risotos, massas, pães, sopas, sobremesas e muito mais.

Photo Measures

Você é daqueles que não tem uma relação amigável com trenas e réguas? Isso não é mais motivo de preocupação na hora que decidir trocar a decoração, comprar um móvel novo ou reformar a casa. Este aplicativo é capaz de calcular as dimensões do ambiente automaticamente.

Yupee

Chega de dificuldades para organizar a vida financeira. Este aplicativo vai monitorar os gastos e controlar onde e como o dinheiro foi gasto. Ele possibilita cadastrar os gastos e recebimentos e ainda gera relatórios. E se você tem um sonho que custa caro, o app tem uma ferramenta chamada “Sonhos” que ajuda no planejamento financeiro para economizar e alcançar o objetivo desejado.

Sortly

Se você é daqueles que não sabe onde guardou os objetos dentro de casa, pode baixar este aplicativo, afinal de contas, ele vai te ajudar a organizar a bagunça e a encontrar o que você procura. O app ajuda na organização de diferentes espaços da casa, determina as categorias, como armário ou despensa, e lista os itens que estão guardados em cada lugar com fotos. Porém, só tem versão em inglês.

HomeSlice

Este aplicativo é ideal para quem divide o imóvel, mas não tem tempo ou habilidade para organizar a vida em grupo. Ele tem várias funções, como uma lista de compras, uma aba relacionada à limpeza e outra que diz respeito às contas. Ele é capaz de mostrar os produtos que têm em estoque ou os que estão em falta; se as contas estão pagas ou se as tarefas de limpeza foram realizadas. Em cada compra ou conta é permitido colocar o valor gasto e, ao final, o app divide o valor entre todos do grupo.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Mais receitas fáceis para jantinha rápida ou a noite familiar

Como vcs bem sabem, eu sou uma fã de receitas fáceis, e muito rápidas, e sempre estou procurando alguma coisa assim por aqui. Aliás, eu sempre acho bacana para a família toda fazer junto: receitas simples são gostosas de fazer com famílias que tem crianças e jovens sem ninguém sair frustrado.

Meu menino já é um pequeno cozinheiro e adora preparar algo com a gente. E estando na primária atualmente, fizemos uma última atividade de torta de caneca salgada com as crianças (que passei em meu último post culinário) e foi o maior sucesso: rápida e gostosa!

E estes são meus últimos achados:

Quiche de caneca – Blog Elo7

Ingredientes


  • 2 colheres (sopa) de leite
  • 1 ovo
  • 1 colher (sopa) de requeijão, queijo cremoso ou cream cheese
  • 1 fatia de pão de forma, pão francês ou pão italiano
  • Presunto picado a gosto
  • Queijo a gosto
  • Sal, pimenta e salsinha a gosto

Modo de preparo

Sem muitos segredos, é simples preparar a quiche de caneca. O primeiro passo é misturar com auxílio de um garfo ou fouet o leite, o ovo, o requeijão, o sal e a pimenta em um recipiente, até que a mistura fique homogênea.
Depois, “forre” o fundo de uma caneca com uma fatia de pão ou pedacinhos de pão picado (o tipo de pão fica à sua escolha!).
Coloque a mistura de leite, ovos e requeijão na caneca, não deixando ultrapassar a metade dela, pois a mistura cresce quando vai ao micro-ondas. Polvilhe com presunto e queijo picado ou ralado e a cebolinha.
Leve para assar no micro-ondas por 2 minutos. Se for necessário, leve por mais 30 segundos ou até que a misture fique cozida (vá de 30 em 30 segundos). O tempo de cozimento pode variar de aparelho para aparelho.

Pão de queijo de frigideira  – Blog Elo7

Ingredientes

  • 1 ovo
  • 4 colheres (sopa) de goma para tapioca ou de polvilho azedo
  • 3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
  • 2 fatias de queijo muçarela picado
  • 1 colher (sopa) de requeijão
  • Sal – opcional
Se preferir a versão fit do pão de queijo de frigideira, substitua o parmesão pela muçarela light e o requeijão convencional por um com versão com menos gordura.

Modo de preparo

  • Em um recipiente, misture o ovo, a goma para tapioca, o requeijão, o queijo parmesão e a muçarela.
  • Misture bem até ficar uma massa homogênea.
  • Aqueça uma frigideira pequena e antiaderente.
  • Coloque uma pequena concha da massa. Deixe assar em fogo médio.
  • Vire assim que começar a soltar das laterais e estiver dourada.
  • Sirva quentinho seu pão de queijo de frigideira!
  • A receita rende em média 4 pães de queijo ou crepiocas.
    Você pode servir seu pão de queijo de frigideira com recheios doces, como geleia, goiabada ou doce de leite, ou ainda com salgados, como presunto, queijo, atum, frango desfiado…
    Se preferir substituir o pão convencional pela versão prática de frigideira, dá para abrir ao meio com uma faca e fazer lanches deliciosos com esse pão-delícia!


Rendimento: 6 cestinhas

Ingredientes
  • 6 discos de Rap10 (usei o light)
  • 3 colheres (sopa) de azeite de oliva
  • 1 dente de alho
Recheio
  • 3 filés de peito de frango cozidos e desfiados
  • cebolinha picada (para o recheio e para finalizar)
  • temperos à seu gosto (usei lemon pepper e o "tempero do amor")
  • 1 caixinha de cream cheese (200g)
  • 200g de mussarela ralada
  • 1 colher (café) de mostarda dijon
  • pimenta caiena para salpicar (opcional)
  • 6 forminhas para petit gateau ou cupcake

Preaqueça o forno em 180°C. Amasse o dente de alho junto com o azeite até ficar bem saborizado. Pincele as forminhas com esse azeite. Com cuidado pegue cada disco de Rap10 e arrume em cada forminha. Cuidado para não rasgar. Caso rasgue, corte um pedacinho da massa e coloque na área que rasgou para não ficar furado. Ficará mais ou menos como os da foto. Agora pincele esse azeite também por toda a massa, tanto por dentro quanto por fora. Coloque no forno por 5 minutinhos. Não deixe demais senão queima!!!
Retire as cestinhas do forno e deixe o forno ainda ligado. Enquanto isso...
  1.  desfie o frango (se tiver processador é uma mão na roda!), 
  2. adicione os temperinhos à gosto, a mostarda
  3. a cebolinha
  4. o cream cheese e um pouquinho da mussarela (apenas 1/3 da quantidade)
Mexa tudo muito bem, experimente para ver se está ao seu gosto, corrija o sal e os temperos se necessário e o resultado será um recheio cremoso:

Com a ajuda de duas colheres, vá distribuindo o recheio nas cestinhas igualmente. Rendeu cerca de 2 colheres de sopa para cada cestinha.


Vá distribuindo o restante da mussarela (é bem interessante ser generosa nas quantidades!) e depois salpique um pouquinho de pimenta caiena em pó por cima de cada (mas cuidado que a pimenta é brabinha!). Se você não tiver essa pimenta, finalize com o que você mais gostar :) 

Volte ao forno até o queijo ficar bem derretido, douradinho e as cestinhas crocantes.

Retire, e com cuidado desenforme cada uma das cestinhas. Se preciso, passe uma faca sem ponta nas bordinhas. Sai com facilidade. Finalize com cebolinha picada e sirva!


Já estou com fome! Vou logo preparar de chamar a família para fazer essas delícias juntos!

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Recurso para as crianças - Padrões do Evangelho

E depois de um longo tempo sem postagens, aqui estou eu! A página no face sempre tem alguma publicação, mas é bom ter algo do blog né...Eu pretendo melhorar agora porque meu pequeno começou a ir pra escola na última semana (e ainda quero compartilhar algumas coisas relacionadas à esta decisão e tudo o que envolveu o evangelho até então) e antes que chegue nosso próximo menino (sim estou grávida) tenho um tempinho de me organizar melhor.

Indo para o que interessa, atualmente estou na primária e acho que recursos legais para as crianças também são bons para as famílias, certo?

Tenho 2 coisas que, como presidente, estou incentivando as famílias à fazerem e acho super válida para as famílias - e isso significa não apenas ajudar os filhos, mas sim fazer isso junto com eles:

* Decorar as 13 regras de fé;
* Estudar os padrões do evangelho e, no caso dos valorosos (acima de 8 anos), usá-los como base para realizar metas do programa fé em Deus.

Sempre defendi que, se você quer que você desejar que alguém faça algo, é melhor que você já esteja fazendo primeiro. Então, se desejamos que nossos filhos decorem uma regra de fé, podemos fazer juntos ou já ter decorado para aí sim ajudar, o exemplo fala mais alto do que qualquer palavra, não é?

No caso dos padrões do evangelho, para quem não conhece, é um recurso bacana que existe para as crianças da primária, que na minha opinião, é uma prévia dos padrões do Para o Vigor da Juventude, mas de forma mais simples para as crianças. São padrões que ajudam-nos à prepará-los para o que vem pela frente, e acho que é muito bom para ajudar as crianças a compreenderem a importância dos mandamentos e princípios básicos do evangelho.

Tem vários materiais da primária que tem este recurso, e neste link do site oficial você encontra eles na íntegra. O material impresso original tem um templo no fundo.

https://www.lds.org/liahona/2012/04/my-gospel-standards?lang=por

Eu gosto muito deles, mas pensando nas crianças menores, queria algo mais visual, para especialmente aqueles que não lêem ainda. Então, criei esse modelinho, usando imagens gratuitas de vetores da internet e de um blog americano que adoro com imagens bem fofas, chamado

Melonheadz LDS illustrating 


Ela na realidade tem uma loja virtual no etsy, mas disponibiliza algumas imagens gratuitas no seu blog, e tenho usado e abusado delas =)

Com tudo isso, o resultado foi esse:


Acho que é bacana para fazer um quadrinho no quadro das crianças, usar em noites familiares, e por aí vai, o que vocês preferirem!

Espero que gostem do desafio de aprender mais sobre eles com seus filhos, e que seja útil pra vocês!

quinta-feira, 19 de maio de 2016

O Papel da Mulher e a Igualdade de Gêneros


Atualmente, ao mesmo tempo que, nós mulheres, recebemos mais direitos, oportunidades e bênçãos, também ganhamos mais desafios, mais responsabilidades e mais fardos sobre nossos ombros, afinal, quantas de nós não precisam dar conta casa, família, trabalho, responsabilidades – e ainda nossos chamados na Igreja?

Imagem: Freepik
E não me refiro apenas às casadas com filhos: há muitas solteiras que assumem a liderança da casa por doença ou problemas dos pais; há viúvas e avós que ajudam e cuidam não apenas seus filhos, mas de sobrinhos e netos diariamente ao invés de curtir a fase pós criação – e muitas ainda também trabalham fora; há esposas que não engravidaram, muito desejaram, buscam essa oportunidade, também trabalham incansavelmente e suas profissões ao longo do dia, e ainda assim fazem projetos de serviço, assumem responsabilidades de outros familiares, e por aí vai... a grande maioria das mulheres que conheço, especialmente dentro de evangelho, tem sido batalhadoras: o mundo hoje não dá trégua pra ninguém.

E por isso, me leva a pensar que tipo de igualdade vivemos. Eu ainda vejo muita desigualdade dentro de todos os diretos e oportunidades que o mundo já oferece, me dá uma falsa impressão de que: termos o direto à realizar determinadas coisas é muito bom e uma conquista, mas quando você vive essas situações na rotina diária, percebe que a carga é enorme, e que a felicidade e a “liberdade” não estão tão ligadas à isso.

Felizmente, quanto mais eu estudo sobre o papel da mulher dentro do plano de salvação e do evangelho, percebo a igualdade que Deus – em sua perfeição – proporciona à todos os seus filhos. E reconheci que essa igualdade não vem de executar exatamente as mesmas tarefas, e sim de entender o papel que cada gênero – homem e mulher – possui, afinal, fomos criados diferentes, e por assim ser, há papeis e características que são da natureza da de cada um. A mulher, por exemplo, costuma lidar melhor no trato com crianças (e digo por experiência própria, mesmo que você ache que não, mas lá no fundo todas nós temos um instinto materno, mesmo quando ainda não somos mães, e também não estou dizendo que os homens não são bons, mas o instinto feminino é maior). Os homens são melhor com o fato de não se importar tanto com pequenos problemas e desavenças, e assim lidarem melhor com stress e pressões da vida profissional e familiar. Já viram como eles conseguem deixar as “bobagens” de lado, enquanto às vezes fazemos uma tempestade em copo d’água pela mesma questão? Não digo que não existem exceções, mas a nossa natureza é assim, eu realmente enxergo isso na maioria.

Considerando as diferenças de características e propósitos, os papeis que aprendemos no evangelho poderiam ser simples de compreender. Mas, os questionamentos dentro do evangelho existem, com alguns pontos que vocês devem saber e conhecer, como:

- As mulheres não podem receber o sacerdócio;
- As mulheres não assumem chamados de liderança na Igreja, como designações de bispado, presidência de estaca, e mesmo setenta, patriarca, apóstolos e como profetas.
- As mulheres são incentivadas à ficar em casa com os filhos, e tem basicamente esta opção, enquanto os homens podem escolher profissões e atividades diferentes e se desenvolverem de maneiras diversas.

E vocês podem citar outras mais provavelmente.

Eu enxergo isso de maneira diferente, afinal, porque precisamos tanto fazer a mesma coisa que os homens, se nosso papel e natureza são diferentes que os deles? Não estou dizendo que é para permitir submissão, aguentar o que mandarem (até porque já sabemos que um homem deve presidir organizações e suas famílias com amor e retidão, bons homens não saem mandado), e nem pra jogar pro alto direitos já conquistados pelas mulheres, nada disso. Mas, quando conhecemos, exercemos e entendemos o papel que Deus designou às mulheres, encontramos alegria e muito amor, nesta jornada. Se duvida, faça o teste, você pode se surpreender, como eu me surpreendi.

Eu estava com um grande foco em minha adolescência e início da idade adulta APENAS na carreira profissional, mas hoje, entendo que há tempo para tudo, e que meu tempo é melhor gasto dedicando mais atenção na família. Não deixo também de ter uma profissão, trabalho em meu próprio negócio, me organizo e divido o tempo para isso, mas não é agora a parte mais importante da minha vida.

Não devemos esquecer também que as obrigações masculinas também exigem fardos pesados. Como um pai se sente em relação à sua família quando passa dificuldades financeiras? E longe de mim querer ter um cargo como de bispo ou de autoridade geral como os homens podem ser chamados: acredito que as esposas destes homens devem entender melhor o quão difícil é ver seu marido chegar preocupado, cansado e abatido devido a quantidade de questões complicadas para serem resolvidas.

Homens e mulheres são diferentes. Ambos passam por provações e problemas, cada um dentro de sua realidade. Não temos que competir, mas colaborar uns com os outros, e aliviar os fardos uns dos outros, sejam nossos esposos, pais, amigos ou mesmo desconhecidos.

Acima de tudo: somos todos iguais diante de Deus, e isso é o ideal para todos, não é?


O que a igualdade significa para você?

sábado, 7 de maio de 2016

O valor da maternidade

Neste dia tão especial, não tem como sentir alegria ao falar de algo tão nobre, a maternidade. Como fui chamada para discursar sobre esse tema neste domingo, compartilho com vocês a minha mensagem desejando um FELIZ DIA DAS MÃES para todas nós!



Vocês já pensaram em como definir o que é ser uma mãe? No Guia de Estudos das Escrituras, temos a seguinte definição:

Título sagrado concedido à mulher que dá à luz ou adota filhos. As mães auxiliam Deus em seu plano de prover corpos mortais para os filhos espirituais do Pai Celestial. 

Ser mãe é algo sagrado e divino, e não é apenas dar a luz, mas ser realmente mãe é algo muito maior. 


O Élder Holland menciona que "Não são apenas os nove meses da gestação, mas, sim, uma vida inteira de carinhosa atenção que torna a maternidade um feito tão impressionante". 

Na última conferência geral, a conselheira geral da organização das moças - Neill F. Marriot - mencionou que "As mães literalmente abrem um espaço em seu corpo para nutrir um bebê que ainda está por nascer e, espera-se que abram um lugar em seu coração enquanto o criam; mas nutrir não está limitado a gerar filhos. Eva foi chamada de “mãe” antes de ter filhos.4 Acredito que “ser mãe” significa “dar vida”. Pensem nas diversas maneiras pelas quais vocês dão vida. Pode significar dar vida emocional para os desesperançosos ou vida espiritual para os céticos. Com a ajuda do Espírito Santo, podemos criar um lugar de cura emocional para os discriminados, os rejeitados e os desconhecidos. Edificamos o reino de Deus por meio dessas maneiras ternas, porém poderosas. Irmãs, todas nós viemos à Terra com essas caraterísticas maternas e com o dom de dar vida e de nutrir, pois esse é o plano de Deus.

Uma mãe pode exercer uma influência duradoura para toda a vida, com suas palavras, exemplo e ações. O Élder  mencionou que "Em todos os casos, uma mãe pode exercer uma influência que nenhuma outra pessoa em nenhum relacionamento pode igualar. Pelo poder de seu exemplo e de seus ensinamentos, seus filhos aprendem a respeitar as mulheres e a incorporar disciplina e elevados padrões morais na própria vida. Suas filhas aprendem a cultivar a própria virtude e a defender o que é certo, vez após vez, mesmo que isso não seja popular. O amor e as elevadas expectativas de uma mãe levam os filhos a agir com responsabilidade e sem desculpas, a levar a sério a formação educacional e o desenvolvimento pessoal, e a fazer contribuições contínuas para o bem-estar de todos a seu redor". 

Considerando então que a maternidade tem uma importância imensa no plano de Deus, entende-se também que faz todo sentido Satanás desejar que às mulheres - e homens - não compreendam o significado da maternidade para o mundo, e ele usa muitas formas para fazer isso. 

Há mulheres que acreditam não ter o dom da maternidade, de não se dar bem com crianças e jovens e por isso não se acham aptas para isso. Outras prioridades como estudos e carreira são muito mais valorizadas do que ser mãe. 

Por outro lado, muitas que já são mães sentem-se incapazes de exercer sua função e de não estarem a altura deste chamado. As comparações então são constantes: 

* Mãe que tem parto normal é melhor que cesárea. 
* Por que não amamentou? 
* Se trabalha fora não dá atenção devida aos filhos. 
* Se fica em casa com os filhos está perdendo tempo assistindo TV, porque quem fica em casa não faz nada. 
* Porque o filho de uma é mais educado e inteligente do que o de outra".

E a lista é enorme, e precisamos dizer NÃO para tudo o que o mundo prega contra este papel divino! Se pararmos para pensar, no fundo, não são todos estes meios de o inimigo desvalorizar algo tão sublime que é a maternidade?

Eu mesma tive algumas destas opiniões. Quando eu era jovem, sempre desejei me casar no templo com um bom homem, mas não deseja ter filhos por considerar os estudos e a carreira maiores. Considerava a maternidade realmente maravilhosa, mas para as outras mulheres. Lembro-me de não opinar muito sobre o assunto em aula das moças porque sabia que, se eu falasse que não deseja ter filhos, as líderes tentariam me fazer mudar de ideia. Eu dizia que teria filhos porque, afinal de contas, era um mandamento. Mas no meu coração, não tinha o desejo. Deus, como sempre, em sua sabedoria, me aconselhou pessoalmente em minha benção patriarcal de que a maternidade tem o maior valor nos céus, e que no devido tempo, eu deveria fazer disto uma prioridade.

Os anos passaram, eu me casei e depois de algum tempo, meu marido falou de termos nosso primeiro filho. Eu ainda não estava muito convencida de ser o momento, pois entre trabalho, estudos, chamados e outros afazeres, não via como conciliar a rotina que tínhamos com um bebê. Porém, depois de uma amiga próxima ganhar seu bebê, observei que, ela também fazia todas estas coisas, tinha uma criança linda, e era muito feliz. Nesse momento algo mudou e eu disse, "Ok" podemos dar um jeito.

Mas o Pai Celestial sabia que eu precisava realmente querer. Nesse meio tempo, tivemos altos e baixos em 2 gestações que não foram em frente. E especialmente a partir da segunda vez, surgiu algo dentro de mim dizendo que eu realmente queria ser mãe, e desejava por aquilo de coração. Desejava tanto que ficava até com raiva (que eu sabia que não devia, mas parecia algo mais forte do que eu) de amigas que engravidavam, porque eu queria muito também. Enfim, o momento certo chegou, o Pai Celestial nos deu a benção de criar um de seus filhos aqui na terra. Tenho muito o que aprender, mas até hoje duas coisas são bem marcantes: de que o tempo de Deus é o tempo certo para todas as mães e todas as coisas; e que a maternidade nos torna pessoas melhores: mais compreensivas com outras mães, menos egoístas, mais amorosas... ela nos transforma.

Tive um ex colega de trabalho que disse não desejar ter filhos porque o mundo já está tão ruim que não gostaria de colocar uma criança para viver em um lugar como esse. Existem muitos motivos para ter uma opinião diferente, mas o primeiro deles que penso hoje é: e se ser mãe fizer de você uma pessoa muito melhor do que você é hoje? 

A maternidade não é fácil. Filhos decepcionam suas mães constantemente de maneiras diversas. Há filhos que saem de casa e nunca retornam, que se desviam de bons caminhos, que constantemente usam palavras rudes e grosseiras em casa, fazem muitas coisas que trazem lágrimas às mães. Ainda assim, a verdadeira mãe não o abandona, porque seu amor é divino, é tão forte que ela supera todas estas coisas.

O Élder Holland citou uma jovem mãe que disse: “Como um ser humano pode amar tão profundamente um filho a ponto de dispor-se a abdicar de grande parte de sua liberdade em favor dele? Como pode um amor mortal ser tão forte a ponto de voluntariamente sujeitarmo-nos a responsabilidades, vulnerabilidade, ansiedade e sofrimento, e persistir em fazê-lo continuamente? Que tipo de amor mortal pode fazer com que sintamos, após ter um filho, que a vida jamais voltará a ser só nossa novamente? O amor materno tem que ser divino. Não existe outra explicação. O que as mães fazem é um elemento essencial do trabalho de Cristo".

Vamos pensar por 1 minuto como seria sua vida se não houvesse uma mulher que não exercesse o papel de mãe em sua vida. Não precisa necessariamente ser a mãe biológica, mas alguém que tenha feito o que uma verdadeira faria. 

* Você receberia a educação que teve? 
* Um carinho, um agrado, uma cantiga de ninar ou uma comida favorita em um dia qualquer? 
* Alguém que tenha levado ao médico, passado dias e noites em claro ou vigilante pelo seu bem estar físico e emocional? 
* Que comemorava conquistas na escola, esportes ou outras atividades? 
* Que tenha consolado na hora de ser contrariado na escola, no término de um namoro, ou em uma demissão? 
* E quem sempre esteve presente nas horas mais importantes e decisivas de sua vida?

Tenho uma gratidão enorme por ter conhecido e ainda conhecer exemplos de mulheres incríveis que são mães. De nossa ala ter mães maravilhosas que influenciam a mim, aos seus filhos e à muitos ao nosso redor. E claro, por minha mãe. Ela não é perfeita, afinal nenhum de nós é, mas ela tem muito mais qualidades, nunca me deixou na mão e faz coisas incríveis. 

Também sou grata por ter uma mãe celestial, que podemos não saber tanto sobre ela, mas tenho certeza que nos ama e zela por nós, e deseja que sejamos vitoriosas nessa jornada mortal. 

Encerro com uma última frase do Élder Holland de que "Nenhum amor na mortalidade se aproxima mais do puro amor de Jesus Cristo do que o abnegado amor que uma mãe dedicada tem por seu filho".

Um Feliz Dia das Mães!!!!

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Maternidade que demora... o que só chega depois desta vida.

Estive pensando no quanto ser mãe me ajudou, edificou e o faz diariamente, mas, como já contei aqui, a maternidade demorou um pouco mais do que desejamos para chegar, após duas perdas. E após esta fase difícil que passamos, eu compreendi que ela veio no tempo certo, e fui preparada para receber nosso menino no tempo correto.

Atualmente, queremos mais um bebê – que também está demorando mais do que gostaríamos. Tenho tido questões de saúde envolvidas, ansiedades, e outras que ainda não entendemos. Mas, desta vez, considerando tudo que já passamos, estou um pouco mais tranquila e confiando que o Pai Celestial sabe de todas as coisas e irá realizar, ou não, nossos desejos, de acordo com o que Ele sabe ser o melhor para nós.

 
Mas por que isso acontece com tantas pessoas boas? Conheço casais incríveis que seriam pais excelentes, mas por inúmeras razões – muitas até desconhecidas – demoram muitos anos para conseguir a desejada gravidez, ou mesmo não conseguem. Por outro lado, tantas pessoas que não desejam ter filhos no momento, e que, por uma noite de festa, por um descuido ou até por meio da força, acabam por engravidar. Por que Deus permite que essas coisas aconteçam?

A resposta para estas situações no mundo é: Eu não sei

Mas, se você me pergunta por que problemas assim aconteceram – e ainda acontecem comigo, respondo: porque eu precisava passar por isso, e no tempo certo, eu compreendo o porquê.

Não sei porque Deus permite que determinadas dificuldades e frustrações aconteçam com pessoas boas e merecedoras. Porém, eu não apenas acredito, EU SEI que HÁ UM PROPÓSITO nestas coisas, e que no devido tempo, as respostas vão surgir. Se quisermos descobrir o porquê antes do tempo, também creio que é possível, quando nos ajoelhamos, estudamos seu evangelho, nos humilhamos à Deus, e consagramos nosso tempo, talentos e disposição ao Senhor.  As impressões e sentimentos mais profundos que já recebi em minha vida foram apenas após as mais fervorosas orações e devoções ao Pai Celestial. Por isso, apesar não sabermos porque isso acontece à tantas pessoas do mundo, você pode entender porque esta dificuldade acontece com você.

Eu realmente acredito que algumas vão utilizar seu instinto materno não com filhos, mas talvez apenas com sobrinhos, ou dentro de sua profissão. Outras deverão cumprir trabalhos e responsabilidades por mais tempo devido à alguma necessidade especial, e muito tempo depois a maternidade chegará. Ou mesmo uma família não terá filhos porque será destinada à adotar uma criança em específico que, mesmo por outros meios, foi destinada à eles. Como está em Isaías, os nossos caminhos não são os Dele, assim como nossos pensamentos também não mais altos que os de Deus.

Mas, tem mais alguns pontos interessantes que gostaria de destacar sobre isso.
Primeiro, sabemos que nenhuma benção nos será negada se formos fieis. A maternidade pode não vir nesta vida, mas quando nos tornamos Filhos de Deus pela expiação (e aqui não é o fato de sermos gerados em espírito, que todos já o são, mas de buscar a perfeição de ser como Ele é), seremos com certeza abençoados com uma grande posteridade.

Outro ponto bem interessante que estudei essa semana no Manual da Mulher SUD A – Lição 14, é que as mulheres que não possuem filhos tem a responsabilidade de se manterem dignas para alcançar essa benção. Algumas até conseguem gerar filhos, mas que acabam por falecer ainda muito jovens e maternidade não continuar na terra desde então. Temos um motivo ainda maior para nos conservarmos dignas, para que possamos na próxima vida termos o direito e o privilégio de encontrá-los e cria-los. Joseph Smith disse “As mães desses filhos, se viverem com fidelidade, haverão de criá-los até a maturidade durante o milênio”.

Enfim, convido vocês à confiarem em Deus, um pouco mais do que já sabemos, de entregar seu coração à Ele, porque, um dia, tenho certeza que nossos esforços valerão a pena e seremos muito abençoadas em família.

terça-feira, 29 de março de 2016

Caderno de Atividades para Crianças na Conferência Geral

Conferência geral é sempre uma alegria, não é? Os finais de semana de conferência são sempre muito especiais pra mim, gosto de me preparar na semana para ficar bem atenta ao que é falado e captar o máximo possível.

Também confesso que sempre fico ansiosa por novidades, sejam novos líderes, novos templos ou alguma mudanças por vir. Mas claro, amo a conferência porque elas são pra mim um guia para os próximos meses e anos de minha vida, já que nos tempos atuais precisamos de MUITA inspiração e revelação para permanecermos firmes pra seguir em frente.

Mas, para quem tem crianças, é cansativo eles acompanharem tudo, então sempre tentamos fazer algo por nossos filhos. Não faço milagres, mas hoje compartilho uma ajudinha que preparei às crianças da primária de minha ala - fui recém chamada presidente - e acho que é útil pra quem quiser imprimir. É um caderninho de atividades, não apenas para colorir, mas com recursos diversos. Sei que existe algumas coisas por aí, mas tentei fazer algo completinho usando um pouco de cada recurso que encontrei. Não vai entreter durante toda a conferência, mas acho que vai ajudar um pouco.

Espero que gostem, se quiserem, tenho o pdf. Entreguei grampeado como bloquinho, de folha A5 (que é metade de um A4). O arquivo completo está todo em imagens abaixo, mas quem quiser em pdf, eu posso passar no e-mail, só pedir!

Ah, a maior parte das imagens eu peguei na própria biblioteca de imagens do site oficial sud, porém, muitas delas não estavam abrindo no português. Uma dica pra driblar o problema: no endereço da página sempre tem uma sigla da lingua (em nosso caso é "por") se isso acontecer troque por "eng" que aparece em inglês e dá certo. Como é só imagens, vc vai conseguir utilizar.

Que todos nós tenhamos uma ótima conferência!